Educação para a Saúde/Educação Sexual

Projecto Educação para a Saúde/Educação Sexual

Rua Álvaro Carneiro
4715-086 Braga
Portugal

micpaz@esas.pt

 

É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.
É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer 

                                                                                            Eugénio de Andrade

Vive a tua sexualidade com responsabilidade. Zela pela tua Saúde e pela dos outros!

Se ainda tiveres dúvidas ou questões(ou se apenas queres saber mais) dirige-te aos Gabinetes de Saúde Juvenil do IPJ.

Informa-te

Rua de Santa Margarida, 64

4710-306 Braga

Tel: 253 204 250

Fax: 253 204 259

E-mail: geral@juventude.gov.pt 

https://juventude.gov.pt/SaudeSexualidadeJuvenil/Paginas/default.aspx

 Gabinete de Informação e Apoio ao Aluno(GIAA)

Horário de Funcionamento

ESAS

Terça -feira  das 10h00 às 12h30

Quarta-feira das 14h00 às 16h00

Local

Bloco E- RC

Grupo de trabalho

  • Profª Irene Paz Coordenadora PES (Docente de Biologia e Geologia);
  • Enf.ª Sandra Duarte (UCC Assucena lopes Teixeira);
  • Educadora Teresa Graça - Representante Ensino Pré escolar;
  • Profª Maria do Carmo Horta - Representante do 2º e 3º ciclos;
  • Profª Beatriz Salvador - Representante da Direção;
  • Teresa Oliveira - Psicóloga
  • Jennifer Flambo - Psicóloga
  • ProfªJoana barbosa - Docente de Educação Física;
  • Profª Fátima Fontes -Representante dos cursos profissionais;
  • Profª Helena Nogueira - Bibliotecária;
  • Eduardo Campos- Representante Assistentes Operacionais;
  • Daniel Vilela- Agente Escola Segura

 

GIAA VIRTUAL

A equipa da Educação para a Saúde está, a partir deste momento, mais acessível. 

Podes escrever um email, com as tuas preocupações, para giaa @ esas.pt

(CiênciaHoje)Morangos melhoram desempenho de glóbulos vermelhos .Consumo do fruto reflecte-se na capacidade antioxidade do sangue

29-06-2011 22:11

Morangos apresentam grande quantidade de flavonóides

Os morangos aumentam a resposta dos glóbulos vermelhos do sangue perante o stress oxidativo, que ocorre em algumas situações patológicas - tais como doença cardiovascular, cancro ou diabetes - e fisiológicas – como nascimento, envelhecimento ou exercício físico -, revela um estudo publicado na revista "Food Chemistry".

Nesta investigação realizada por cientistas da Universidade Politécnica de Marche, na Itália, e da Universidade de Granada, em Espanha, um grupo de voluntários comeu meio quilo de morangos da variedade Sveva todos os dias durante duas semanas para demonstrar que a ingestão desta fruta melhora a capacidade antioxidante do sangue.

 

 

Embora os cientistas já tivessem tentado confirmar a capacidade antioxidante dos morangos em experiências laboratoriais in vitro, agora conseguiram demonstrá-lo in vivo.

 

Ao longo do período em que 12 voluntários saudáveis ingeriram durante o dia 500 gramas de morangos, foram recolhidas amostras de sangue, sendo que o mesmo processo foi repetido um mês após esta temporada.

Os resultados revelam que o consumo regular desta fruta pode melhorar a capacidade antioxidante do plasma sanguíneo e a resistência dos glóbulos vermelhos à fragmentação oxidativa. "Verificámos que algumas variedades de morangos tornam os eritrócitos [glóbulos vermelhos] mais resistentes ao stress oxidativo. Este facto pode ser de grande importância, se considerarmos que esse fenómeno pode conduzir a doenças graves", explicou o líder do estudo, Maurizio Battino.

 

A equipa analisa, agora, as variações causadas pela ingestão de quantidades menores de morangos, pois o consumo médio tende a ser uma tigela de 150 ou 200 gramas por dia. "O importante é que façam parte de uma dieta saudável e equilibrada, dentro das cinco porções diárias de frutas e legumes", apontou o cientista.

Os cientistas continuam a analisar diferentes variedades de morangos, já que cada uma tem as suas próprias quantidades e proporções de antioxidantes. Os morangos apresentam grande quantidade de compostos fenólicos, como os flavonóides, que diminuem o stress oxidativo que, para além de ocorrer em situações patológias e fisiológicas, dá-se no confronto entre "tipos reactivos do oxigénio" - em particular, os radicais livres - e as defesas antioxidantes do organismo.