Educação para a Saúde/Educação Sexual

Projecto Educação para a Saúde/Educação Sexual

Rua Álvaro Carneiro
4715-086 Braga
Portugal

micpaz@esas.pt

 

É urgente o Amor,
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.
É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros,
e a luz impura até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer 

                                                                                            Eugénio de Andrade

Vive a tua sexualidade com responsabilidade. Zela pela tua Saúde e pela dos outros!

Se ainda tiveres dúvidas ou questões(ou se apenas queres saber mais) dirige-te aos Gabinetes de Saúde Juvenil do IPJ.

Informa-te

Rua de Santa Margarida, 64

4710-306 Braga

Tel: 253 204 250

Fax: 253 204 259

E-mail: geral@juventude.gov.pt 

http://juventude.gov.pt/SaudeSexualidadeJuvenil/Paginas/default.aspx

 Gabinete de Informação e Apoio ao Aluno(GIAA)

Horário de Funcionamento

Quinta -feira  das 10h00 às 12h00

Sexta-feira das 10h00 às 11h35

Local

Bloco E- RC

Equipa técnica

■Dr.ª Irene Paz (Docente de Biologia e Geologia);

■Dr. Nuno Torrinhas (Docente de Biologia e Geologia);

■Enf.ª Sandra Duarte (UCC Assucena lopes Teixeira);

 

GIIA VIRTUAL

A equipa da Educação para a Saúde está, a partir deste momento, mais acessível. 

Podes escrever um email, com as tuas preocupações, para giaa @ esas.pt

(CiênciaHoje)Programa de auto-controlo pode reduzir bullying nas escolas

07-03-2010 23:55

Foi hoje publicado no Journal of Abnormal Child Psychology um estudo que pode ajudar a combater este problema. A tese inicial é que crianças que aprendem a controlar a sua raiva e outras emoções têm melhor comportamento na sala de aula, apresentando menos medidas disciplinares ou suspensões.

O estudo da Universidade do Centro Médico de Rochester, nos Estados Unidos, vem comprovar que as crianças com programas de orientação de controlo de emoções têm metade das probabilidades de ter qualquer incidente disciplinar.

Durante os três meses de análises, as crianças em estudo tiveram também uma diminuição em 43 por cento de suspensões em comparação com o grupo que não recebeu a orientação de capacidades de auto-controle.

Quatro meses após o início da intervenção, 1.8 por cento das crianças do grupo mentor foram suspensas em comparação com os 6,1 por cento do grupo de controlo.

“É interessante que os mentores adultos, que não são profissionais de psiquiatria, ensinaram às crianças um conjunto de competências que reforçou significativamente a capacidade dos alunos para se comportarem nas salas de aula e responder às expectativas da escola”, afirmou Peter Wyman, o principal autor do artigo e professor de Psiquiatria do centro médico.

"Este estudo sugere que, com orientação adequada de um adulto, as crianças são capazes de aprender muito sobre as suas emoções e a lidar com elas de forma eficaz. Essas competências podem ter benefícios directos para o funcionamento das escolas”, concluiu o mesmo investigador.